Chorando no ônibus

09:00

A vida, ela está tão corrida que não está me deixando ver filmes, tenho uma lista enorme de filmes que quero ver, porém zero de tempo. Aí que eu viajei este final de semana, geralmente viajo a noite e não tem como ler, que é o que eu geralmente faço em viagens (além de dormir obviamente), então eu me lembrei da maravilhosa opção que a Netflix tem de baixar os filmes para ver offline. Baixei dois filmes, já que minha viagem dura 34358394 horas e assim poderia me entreter praticamente a viagem toda.

Mas amigos, se eu puder dar um conselho a vocês, quando forem assistir filmes em público, por favor, vejam filmes felizes e alegres, principalmente se você for uma pessoa extremamente emotiva e chorona como eu para não passar várias vergonhas. Eu assisti dois filmes que estão super comentados atualmente devido aos seus assuntos polêmicos que geram muitas discussões e chorei copiosamente em ambos:

O MÍNIMO PARA VIVER

O mínimo para viver conta a história de uma menina que sofre com o distúrbio alimentar da anorexia e passa por vários tratamentos para se recuperar, mas que por seu mau comportamento não conseguia permanecer em nenhuma clínica, até que como uma ultima chance, sua madrasta lhe enviou para um médico conceituado nessa área, mas mesmo assim não vai acontecer um milagre. É um filme com uma temática bem pesada, porém a doença não foi romantizada e foram mostradas as verdadeiras consequências. Deixo aqui a crítica feita pela Paola do blog Não Sou Exposição para o site M de mulher que fala com mais propriedade sobre o assunto.

OKJA

Foi em Okja que obviamente eu chorei mais porque amigos, não tem como. A menina cria a sua superporquinha com todo amor e liberdade do mundo aí vem uma empresa querendo tirar dela pra porquinha virar o que? Isso mesmo, carne! Alguma semelhança com a realidade? Todas né? Só me fez perceber que estou no caminho certo sendo vegetariana, só me fez amar cada dia mais essa minha escolha.

Posts Relacionados

5 suspiros

  1. OKJA virou meu filme favorito da vida - mas eu choro só de lembrar!

    ResponderExcluir
  2. Também chorei vendo os dois, especilamente Okja apesar de eu não ser vegetariana. To The Bone me deixou meio mexida porque eu já sofri/sofro com distúrbios alimentares, mas também achei que o assunto foi tratado de dorma bem real e sem romantizar. Quem nunca chorou no ônibus e perdeu a dignidade não é mesmo?

    Odecimoterceiroandar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda não assisti esses dois justamente por serem muito emotivos, e não to forte o bastante kkkkk

    Com amor,
    Bruna Morgan

    ResponderExcluir
  4. Eu adorei O Mínimo Para Viver, e vou escrever sobre ele no blog logo. Gente, é chocante e eu já recomendei pra muitas pessoas!

    ResponderExcluir
  5. Eu assisti apenas o primeiro filme, mas também chorei, é um filme pesado, mas um assunto muito sério.
    Ainda não tive coragem de ver o segundo, pois já sei que vou chorar.
    Beijos, Aline
    Verso Aleatório

    ResponderExcluir