23 de mar de 2017

It's not easy

No início do ano eu decidi parar de comer carne.

Não que eu comesse quilos e quilos de carne por dia, na verdade eu comia muito pouco, quem já teve a honra de almoçar comigo sabe que era muito difícil ter carne no meu prato, mas eu comia um peito de frango, uma carne moída, essas coisas assim, nada muito exagerado, mas decidi parar de vez porque a vida é feita de escolhas e a gente escolhe o que considera melhor não é mesmo?

Se tudo fosse simples e tranquilo assim seria ótimo, porém somos julgados o tempo todo por nossas escolhas, não que eu me importe ou tenha que me justificar, mas quero dar minha opinião sobre a minha própria decisão. Decidi não comer mais porque sinto esse chamado desde criança, quando no sítio onde morava via os animais serem abatidos e chorava escondida porque não podia fazer nada para ajudá-los. Também porque não gosto do cheiro nem do sabor da maioria das carnes e comia por "obrigação".

Vejam bem, eu sou nutricionista e quando se está nesse ramo você corre o risco de ouvir todo tipo de "bullshit" relacionado à alimentação, principalmente sobre a sua alimentação, porque você "tem que" dar o exemplo e COMO ASSIM UMA NUTRICIONISTA NÃO COME CARNE? É NA CARNE QUE ESTÃO TODAS AS PROTEÍNAS QUE O CORPO PRECISA E CARNE É VIDA E BLÁ BLÁ BLÁ. Vocês querem ensinar o padre a rezar missa?

Eu estudei quatro anos pra saber disso, ok? Eu sei das proteínas, e tudo mais sobre a carne, eu apenas decidi que não queria mais aquilo pra minha vida. E o fato de eu ter estudado tanto sobre os alimentos, e continuar estudando, é que tem me ajudado muito nessa minha decisão, porque cada dia descubro um prato diferente, uma maneira de substituir, e conseguir todos os nutrientes que preciso, e não, não é só na carne que tem proteína.

Por conta da decisão, conheci várias pessoas muito legais que são vegetarianas a muito mais tempo e que dividem experiências que agregam muito no meu conhecimento sobre o assunto, dentre elas a Carla, do blog Outra Cozinha que em uma das suas newsletters disse uma frase que cabe muito aqui: "Não me incomodo exatamente pelas perguntas, e a curiosidade genuína até me faz ter prazer em responder e falar do assunto. O que não gosto é quando elas são feitas com um tom de incredulidade, como se fosse completamente absurdo e ofensivo que alguém possa ser um pouquinho diferente." E é incrível, mas as pessoas se ofendem com isso, como se o fato de eu não comer carne fosse influenciar na alimentação delas.

Quando vai ficar claro que essa é uma decisão pessoal? Eu decidi por mim mesma, mas não se preocupem, não vou ser a vegetariana chata que sai dando lição de moral em todo mundo e dizendo que todos devem ouvir a palavra do vegetarianismo. É claro que, se alguém se sentir motivado eu darei o total apoio e até ajudo com algumas dúvidas, mas não vou ser militante.

Até porque eu entendo todos os pontos de vista, existem pessoas que amam comer carne e tá tudo bem, existem aquelas pessoas que comem porque apesar de ser um item relativamente caro no mercado é mais acessível do que uma alimentação vegana, por exemplo e tá tudo bem também porque ninguém é melhor do que ninguém por aquilo que come ou deixa de comer, a não ser que você seja o Hannibal, aí talvez seja julgado sim.

Nesses últimos dias a carne está na mídia devido as recentes operações da polícia federal depois das descobertas "chocantes" de empresas que manipulavam carne estragada e colocavam papelão na mistura de determinados tipos de embutidos, dentre outras irregularidades. Isso foi mais um dos motivos que me fizeram acreditar que estou no caminho que eu considero certo, mas se o seu caminho não é esse, ok. Vamos apenas ser empáticos e almoçar juntos, sem ser fiscal de prato de ninguém.

5 comentários:

  1. Ah eu já tive essa "insight" uma vez há uns anos, mas acabei não levando adiante, mas sinto que é uma das coisas a se tentar :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que sente isso Ludi, são escolhas... Cada um no seu tempo né?

      Excluir
  2. Eu poderia imprimir este texto e distribuir para todos que se ofenderam quando eu falei ~nestes quase 10 anos~ que optei buscar as minhas proteínas em outros alimentos.

    Muita gente também fica de queixo caído quando falo que meu noivo ama carne, e é aí que a frase se encaixa novamente: “..como se fosse completamente absurdo e ofensivo que alguém possa ser um pouquinho diferente." – como se um casal pudesse ser diferente.

    Mas seguimos a vida, né.

    Não conhecia o blog Outra Cozinha e já estou gostando muito! Assinei a newsletter também. <3

    Beijo,
    Sté

    ResponderExcluir
  3. menina, que engraçado: já tinha super me identificado com teu blog até aqui, mas não é que eu também parei de comer carne há tempo? inclusive, a Natália Utikava - falei dela no seu post sobre news! - é minha nutri e está me ajudando muuuito nesse processo! boa sorte pra nós!

    ResponderExcluir
  4. Oi flor!
    Vim aqui conhecer seu blog e acabei lendo esse post. Eu não como carne há 10 anos e acredite, até hoje escuto palpites sobre a MINHA alimentação. E as proteínas? E o ferro? Como se em nenhum outro alimento tivesse ptn e Fe...

    Recomendo a leitura desse livro: Alimentação sem carne, do Dr. Erick Slywitch. Você como nutricionista deve conhecê-lo, ele é um médico nutrólogo especializado em veganismo e acredito que vá acrescentar muito na sua formação. :)

    Adorei seu cantinho e já vou adicionar nos meus feeds. <3

    Beijos
    Camile
    camilecarvalho.com

    ResponderExcluir

Suspirare © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.