31 de jan de 2017

Torna-te quem tu és

a meta
[para o resto da vida]
é se aceitar
como se é

porque nossos medos
inseguranças
incertezas
e questionamentos
são parte da nossa personalidade

e não ha problema algum 
em ser
como se é

(fabrício garcia)

Eu estava, pra variar, fazendo listas, já que sou a louca das listas e elas me ajudam muito a viver de forma organizada nessa bagunça que é minha mente. Aí  resolvi fazer uma lista das redes sociais nas quais tinha cadastro para ver qual já não usava tanto assim para poder excluir, já que estou nesse pensamento minimalista e não dou conta de lidar com todas essas redes sugadoras de tempo.

No meio dessa lista lembrei que tinha um tumblr, que não atualizava nem olhava mais e resolvi ir lá para aquele poço de nostalgia e ver o que me aguardava. O theme estava todo desconfigurado, aí resolvi arrumar, e fui olhando as publicações antigas. E pra quem não sabe, o tumblr é cheio de imagens, gifs e textos, geralmente as pessoas reblogam os que gostam mais e eu, rebloguei muita coisa de 2011 a 2014 que foi quando deixei ele lá esquecido.

Eu achei que remexendo nessa parte do passado iria ficar triste ou iria lembrar de coisas que não gostaria, mas ao ver cada imagem, cada texto e cada gif que lá estava eu fiquei muito feliz porque fui percebendo o quanto cada coisinha que estava lá eram registros de pedacinhos que juntos formaram o que eu sou hoje. Por exemplo, eu gostava de determinadas bandas, ainda gosto delas na verdade, mas foram elas que me apresentaram outras e outras e outras e formaram meu gosto musical. As imagens de gatinhos já previam que eu seria a louca dos gatos. As frases e textos relacionados a livros já deixavam claro a minha paixão pela literatura. Pelos posts de sofrência percebi o quanto eu era ingênua em relação ao amor e o quanto eu aprendi com tudo isso até agora.

O legal também foi perceber que pensamentos eu tinha, no que eu acreditava, e que muitas dessas coisas permanecem mesmo que de maneira sutil. Parece óbvio, mas é tão incrível perceber que tudo o que você viveu fez você ser o que você é. E o que você é não precisa e nem pode ser perfeito, vivemos em uma constante mudança, um constante aperfeiçoamento tentando ser melhor. Mas tá tudo bem ainda não ter chegado lá.

Durante muito tempo eu não acreditava em mim, no meu potencial, por exemplo de escrever, fazia textos e jogava fora... mas com o tempo fui percebendo que eu não preciso ser a melhor, eu preciso apenas ser eu mesma e é claro que existirão pessoas que vão fazer melhor que eu, mas isso não significa que eu devo deixar de fazer, nem que eu precise ser melhor que outras pessoas, eu só preciso ser eu mesma e eu gosto muito de quem eu me tornei e de quem eu me tornarei a cada dia.

P.S. Não consegui deixar de escrever no blog, apesar de ter pensado seriamente nisso, mas como disse acima, não preciso fazer o melhor blog, preciso fazer do meu jeito e tá tudo bem. Toda vez que penso em desistir lembro qual foi o intuito ao criá-lo: registrar memórias. E minhas memórias não vão morrer! 

Um comentário:

  1. Oi, Ana!
    Eu já fiz exatamente isso com meu Tumblr. Entrei um dia decidida a excluí-lo mas aí comecei a descer a barra de rolagem e tanta lembrança boa apareceu! Resultado: desisti! Hahaha
    E eu concordo, esses cantinhos como o blog e o Tumblr, são com nossas caixinhas de recordações. Não dá pra jogar fora!

    Beijos.

    BLOG COISA E TAL

    ResponderExcluir

Suspirare © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.