O desiludido do ônibus

21:53


Este post faz parte do projeto 642 coisas sobre as quais escrever e este é o item 16 que sugere um texto sobre a mais intrigante e inesperada conversa com um desconhecido que você já teve e também faz parte das 1001 pessoas que conheci antes do fim do mundo, então "senta que lá vem história".

Desde muito nova vivi uma vida de nômade, já morei em várias cidades e mesmo agora tendo criado raízes em uma, sempre estou viajando para visitar os meus pais. Então já dormi em muita rodoviária esperando o ônibus, li muito livro durante as horas intermináveis de viagem, mas o que eu mais gosto desses momentos são as pessoas que conheço ou observo e as histórias que ouço das mais variadas formas de seres humanos possíveis.

Numa dessas minhas peregrinações pelo mundo afora presenciei um momento triste na vida de um menino. O começo do itinerário do ônibus era a cidade onde moro, logo, todos os passageiros embarcaram lá. Havia um menino que sentou-se do outro lado do corredor e percebia-se à quilômetros que ele não estava se sentindo bem, parecia nervoso, inquieto, hiperativo, se eu estivesse mais perto talvez desse até pra ouvir o seu batimento cardíaco acelerado.

Logo que o ônibus começou a rodar ele perguntou pra mulher que estava à sua frente se demorava muito para chegar na próxima cidade. Ela respondeu que uns 30 minutos, ele então disse a ela que queria saber porque tinha decidido que ia descer e voltar. Pensei que ele talvez tivesse esquecido algo, ou então tinha se arrependido de embarcar. Chegando à próxima cidade ele hesitou e não desceu do ônibus, seguindo até o destino final, a rodoviária de uma cidade maior. 

Como eu ainda tinha que pegar outro ônibus nessa rodoviária desci, fui ao banheiro, fiz um lanche rapidinho e procurei um lugar para sentar e esperar. Milagrosamente tinha um lugar vago ao lado de uma tomada, coisa rara, pois esses bancos são os mais disputados do mundo em uma rodoviária porque em reino de bateria que não dura nada quem acha uma tomada é rei. Coloquei meu celular para carregar em uma das entradas da tomada (que tinha duas) e fui ler um livro enquanto o ônibus não chegava.

Estava eu lá distraída com a historinha (que nem lembro mais qual era), quando alguém pediu se poderia usar a outra entrada da tomada, pois seu celular havia morrido. Eu disse que sim e olhei pra pessoa que para minha surpresa era o menino do ônibus. Ele colocou seu celular na entrada e sentou-se no próximo banco. Eu como uma legítima curiosa puxei papo com ele, perguntei se estava acontecendo alguma coisa porque ele não parecia estar bem.

Ainda bem que meu ônibus ia demorar algumas horas porque a história do garoto era longa demais, daria um livro, talvez um livro não, mas uma crônica de romance, pra não dizer de comédia (mas aí eu seria muito cruel). Acho que o que ele mais queria naquele momento era que alguém lhe fizesse essa pergunta para que pudesse desabafar, e cara eu nunca vi alguém precisar tanto desabafar ao ponto de chorar na frente de um estranho contando sua história.

O menino (que eu não lembro mais o nome), me contou o motivo de estar tão nervoso, de querer voltar, de ser um completo idiota (segundo suas próprias palavras), o motivo é claro, era uma mulher. Me disse em meio a lágrimas que havia viajado durante horas vindo lá do Rio Grande do Sul para conhecer sua namorada, sim amigos, conhecer! Quando adolescente eu já vivi amores virtuais, mas nenhum vingou, é claro porque nem sempre conseguimos desvirtualizar uma pessoa por completo porque ela geralmente mora longe e enfim, diversos fatores que no meu caso não deram certo.

Mas esse menino, viajou muitos quilômetros pra conhecer a menina dos seus sonhos. Ele me contou, mas não lembro como foi que eles se encontraram pela primeira vez na web, mas lembro que eles estavam namorando virtualmente e que tinham muitos planos juntos, que já tinha passado do bate papo para ligações intermináveis durante a noite e que já tinham conversado com a família toda, ou seja, eram realmente namorados, mas nunca tinham se visto.

Ele decidiu vir conhecê-la, estava decidido a mudar de cidade, viver com ela, ou levá-la pra lá, construir casa, comprar tudo, construir uma vida juntos, esse era o plano dos dois, mas, porém, todavia, contudo, entretanto ele não avisou a ela que estava vindo, resolveu fazer uma surpresa. Triste decisão meus amigos, tristíssima decisão, pois ao chegar e ir encontrá-la ele teve uma gigantesca decepção.

Tá, no começo foi surpresa, felicidade pelo encontro, mas depois que passou a euforia e eles foram conversar sério sobre seus planos ela disse ainda estar indecisa com a situação e que não tinha certeza se realmente queria ficar com ele. Essa foi de longe a friendzone mais grave que eu já vi.

Pra terminar me mostrou a carta que ela havia escrito pra ele, desculpando-se e dizendo que o amava, porém não podiam ficar juntos. Não entendi muito bem o motivo dela dizer tudo isso e no final como que dizer: "tchau, vá embora, não mandei você vir". Fiquei triste com a história porque me coloquei no lugar dele, com certeza estaria em prantos da mesma forma que ele estava.

Depois de tudo isso meu ônibus chegou e eu parti, ele ainda iria ter que esperar mais algumas horas pra poder voltar pra sua casa, com certeza desolado. Eu fiquei pensando muito nessa história por alguns dias, quanta loucura essa vida né? Me fez filosofar demais sobre o amor, as consequências dele e o que realmente vale a pena nesse mundo.

Posts Relacionados

4 suspiros

  1. O que comentar?! Acho que ele deveria ter avisado antes, talvez evitaria tudo isso, mas olha só, como ele deve se sentir agora? Eu prefiro me arrepender de fazer coisas do que não fazê-las, dar a cara a tapa, como ele. Então... Pra tudo nessa vida tem seu lado bom! Haha Quem sabe ele ainda não faz sucesso escrevendo em blog, ou um livro com essa história (novela mexicana?).
    Bjo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha Allan, queria mesmo saber como ele tá agora. Espero que bem, que tenha seguido sua vida e esteja bem melhor agora. Acho que nunca saberei.

      Obrigada pela visita <3

      Excluir
  2. ai menina, que situação! hahaha
    amei esse projeto que você está participando!! vou ler mais sobre e ver se encaro também.

    ;**

    ResponderExcluir