29 de jul de 2015

Desafio das cartas #4 Seu irmão ou parente mais próximo

Telêmaco Borba, 29 de julho de 2015.

Dani e Mari, 

É tão difícil escrever pra vocês, talvez porque tudo o que eu quero dizer não conseguiria em apenas uma carta, explicar o que eu sinto por vocês extrapola o poder das palavras, então não serei capaz, mas vou tentar.

Cada vez que olho pra vocês duas me vêm mil lembranças na cabeça, acho que ser irmã mais velha é como ser uma mãe antecipadamente porque vi cada fase da vida das duas, acompanhei desde a gravidez, primeira alimentação, primeiras palavras, primeiros passos e é tão emocionante perceber um ser humano se desenvolvendo, descobrindo o mundo e estar presente, poder ajudar, é encantador.

Eu sei, como boas irmãs já tivemos muitos momentos de desentendimento. Normal, afinal dividir a atenção dos pais, a casa, os brinquedos, a vida, não é tão simples assim. Mas é gratificante, a família nos prepara para a vida, para a convivência com outras pessoas e com certeza eu aprendi muito com vocês. Aprendi que meus brinquedos não eram mais só meus e que mesmo que eu quisesse guardar aquela linda boneca, isso não iria acontecer porque mais cedo ou mais tarde alguma de vocês iria querer brincar com ela e não ia ter jeito, eu ia ter que ceder, mas foi assim que aprendi que brinquedos são pra ser divididos e para serem brincados, senão qual é a graça de deixar guardado?

Aprendi que o pai e a mãe não iriam mais ser só meus como foram por sete anos, minha exclusividade, aprendi com vocês que pais são para serem compartilhados porque eles são maravilhosos demais pra eu guardar só pra mim. Aprendi que meu quarto que eu tanto arrumava, as vezes merecia uma baguncinha também porque convenhamos, fazer bagunça com as irmãs é muito divertido. E com vocês eu aprendi que eu não era a única na vida, no mundo... Acho que a grande lição que aprendi com vocês foi aprender a dividir e sou muito grata por isso porque só assim eu não me tornei uma pessoa egoísta.

Agora que estou aqui longe é mais fácil perceber o quanto vocês estão crescendo, cada vez que vejo vocês estão maiores, aliás vocês sempre foram maiores que eu. A cada conquista de vocês eu fico orgulhosa, como se fossem minhas filhas. E vai continuar sendo assim, quero estar presente em cada momento, seja ele bom ou ruim porque irmãs são o mesmo sangue e não tem como explicar essa ligação tão intensa. Obrigada por dividirem tudo isso comigo, por terem me dado a oportunidade de ser irmã de vocês, eu as amo muito e pra toda a vida.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Suspirare © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.