Experiências profissionais e o que eu aprendi trabalhando

21:47

Na página "sobre" do blog eu explico que sou nutricionista, mas que não falaria muito sobre assuntos relacionados à minha profissão aqui até porque sou muito mais do que apenas minha profissão, minha vida não se resume ao trabalho e gostaria de compartilhar outras coisas no meu blog que não sejam "alimentação saudável" "coma isso, não coma aquilo", "dicas nutricionais" e afins, acho que a mídia já está saturada dessas informações, ou desinformações em alguns casos.

Quero que fique bem claro que eu amo minha profissão, mas antes de ser nutricionista eu sou a Ana, e é sobre a Ana que o blog trata.  E antes que você diga que estou mordendo a língua ao publicar este post gostaria de explicar que não vou falar sobre a profissão em si, mas sobre o ato de trabalhar, leia e entenderá o que quero dizer.

Quando comecei a cursar a minha faculdade não tinha a menor ideia de que área seguir, todas me pareciam legais, mas nem todas fáceis de lidar. Eu escolhi (ou fui escolhida) pela área que a maioria não gosta, mas que é a que tem mais vagas no mercado de trabalho: Gestão em UAN (unidade de alimentação e nutrição), ou seja, administrar um restaurante, seja ele comercial, empresarial, whatever... e confesso que não era a área que tinha mais afinidade durante a graduação, mas que aprendi a gostar com o tempo. Quando digo que "fui escolhida" é porque quando estamos em busca do primeiro emprego não podemos ficar escolhendo muito e devemos abraçar as oportunidades que a vida nos dá para ganharmos a tal experiência que tanto queremos e somos cobrados.

Com o passar dos dias pude entender porque é uma área que muitos não curtem muito, digamos que não é um trabalho em que você possa estar o tempo todo arrumadinha e cheirosa, você coloca um uniforme sim, você não pode exagerar na maquiagem, você não pode usar salto, você não pode estar com o cabelo solto, você entra na cozinha sim, fica cheirando à fritura sim, e você não vai lidar só com comida, mas também e principalmente com pessoas, o tempo todo e eu acho que isso é mais complicado do que o ciclo de Krebs (entendedores entenderão).

Não estou reclamando, nem dizendo que acho ruim, eu gosto muito de trabalhar com pessoas, só estou dizendo que não é fácil, afinal cada um tem a sua personalidade e aprender a conviver com diversas personalidades ao mesmo tempo é realmente um desafio.

Não posso dizer que tenho uma grande experiência profissional, afinal só estou atuando na minha área há dois anos, mas já é um bom tempo para aprender várias coisas que com certeza irei levar para o resto da vida. E não estou falando de experiência somente na minha profissão, mas também experiência em relações interpessoais, a conviver com pessoas e isso realmente não é fácil. Claro que tendo que lidar com problemas e atividades relacionados à nossa profissão adquirimos um enorme conhecimento e facilidade em resolver questões cotidianas, mas mais do que isso aprendemos a nos relacionar com as pessoas e isso é muito importante para nosso amadurecimento tanto profissional, quanto pessoal.

Existem algumas coisas que não mudam, independente da sua profissão ou área de trabalho e que não se aprende em livro nenhum, somente vamos descobrir quando começarmos a trabalhar e conviver com elas, algumas dessas coisas podemos levar para qualquer situação:

 -  Não confie totalmente nas pessoas
Infelizmente no mundo competitivo em que vivemos atualmente não devemos confiar cegamente em ninguém, principalmente quando se trata de assuntos profissionais ou quando envolve dinheiro, por mais que existam pessoas boas sempre terá aquela maçã podre no cesto que pode tentar te prejudicar e acredite, ela pode conseguir.

 -  Não exponha sua vida pessoal
Acho que todos os outros itens irão se voltar ao primeiro - não confie totalmente nas pessoas - e tenha muito senso ao falar com elas sobre sua vida pessoal, talvez não seja legal contar com quem você saiu final de semana ou pra onde vai viajar nas férias. Você pode achar que está sendo simpático tentando ser amiguinho, mas nem sempre é vantajoso ter tanta abertura com pessoas que você conhece tão pouco.

 -  Não se envolva em assuntos paralelos
Uma coisa leva a outra, se você expõe sua vida demais pode ser alvo de assuntos paralelos, a popular fofoca. Como você vai ter certeza de que aquilo que você contou e disse "vou contar só para você" não se espalhou pela empresa inteira? E assim como você não quer ser alvo de fofocas também não deve se envolver em picuinhas sobre a vida alheia, é aquela velha história das peneiras de Sócrates:


 -  Não se apegue demais
Essa é uma questão em que eu aprendi muito, não se apegar. Com toda essa carência que domina a minha pessoa é difícil não me apegar às pessoas próximas. Mas isso pode causar muita frustração, principalmente quando a convivência é diária. Com a grande rotatividade você nunca vai saber quando essa pessoa sairá da empresa ou mesmo quando você irá sair e o pior de tudo: não saberá quando vão se decepcionar um com o outro. É muito complicado conviver com uma pessoa em quem você confiava, se abria, conversava e era apegado e que de repente te magoou ou te decepcionou.Como disse Stephen King: "Primeiro os sorrisos, depois mentiras. Por último tiroteio". É mais ou menos por aí.

Depois de tudo isso não achem que sou uma pessoa super chata e séria que não conversa com ninguém, ou aquela gerente que não tem amizade com os colaboradores. Claro que não consigo seguir à risca os conselhos que eu mesma dou, mas são meios de precaução para evitar o sofrimento e o estresse no trabalho e principalmente na convivência com pessoas, que como já havia dito, cada um tem a sua personalidade o que significa que graças a Deus não somos todos iguais, senão que graça teria?


Posts Relacionados

4 suspiros

  1. O outro é, a um só tempo, espelho e eco em movimento.
    GK

    ResponderExcluir
  2. "Você está indo lá para trabalhar, não pra fazer amigos", foi algo que ouvi um tempo atrás e achei deveras pesado na época, mas, no fundo mesmo, é isso aí. A gente acaba confundindo convivência com intimidade e se dando mal por bobagens. Os pontos que você citou são os principais em qualquer área, definitivamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Carol, coexistência com algumas pessoas é realmente complicado, mas é com essas experiências que aprendemos a sermos melhores e separar o trabalho da vida pessoal.

      Beijos <3

      Excluir